Central de Notícias

ARTIGOS

A armadilha do concurso que passou e como seguir em frente!

18/01/2017 - Pamela Engel

A  grande maioria dos concurseiros não consegue se desprender do concurso que acabou de fazer. Duas situações são muito comuns e se tornam verdadeiras armadilhas, difíceis de se desvencilhar.

A primeira é quando o candidato vai bem na prova, mas não tão bem a ponto de entrar nas vagas. Nessa hora, aparecem diversos profetas e os boatos se propagam: “Eles vão chamar mais”, “O estado está precisando”, “O primo da amiga do meu vizinho trabalha com o governador e ele disse que chama”. É tentador conferir o fórum todos os dias, buscar informações no diário oficial, elaborar planilhas, mas tudo isso toma tempo e, principalmente, te distrai. A ansiedade por informações, ainda que meros boatos, atrapalha a concentração, dificultando o retorno aos livros. Nesses casos, o otimismo é o inimigo.

A segunda situação é quando o concurseiro vai mal, se embriaga de tristeza e o pessimismo se torna o vilão. Isso faz com que o candidato deixe de lado os estudos para se lamentar do que fez errado, e acaba achando que nada vai dar certo.

Em ambos os casos, o melhor remédio é olhar pra frente com uma boa dose de realismo. Não há nada que você possa fazer pelo concurso que já passou, mas há muito o que estudar ainda para o concurso que virá e o tempo é o ativo mais precioso de um concurseiro.

É preciso frieza para pensar que sua melhor chance está no concurso que virá, em vez de se embebedar nos boatos e ficar contando com a boa vontade do administrador. Contudo, é preciso ainda mais frieza para superar o baque de um mau resultado e analisar aquilo que você não foi bem para que possa aprender ou aprimorar visando sempre a prova que virá.

Costumo imaginar que os concursos são como uma escada com degraus desnivelados, a cada um que se passou preciso de mais força para levantar a perna para o próximo degrau. É difícil? Claro que é, o concurseiro precisa abdicar de muita coisa, mas cada esforço é recompensado no alto dessa escada. Como diria Henry Ford: “Os dias prósperos não vêm por acaso; nascem de muita fadiga e persistência.”

Um Grande abraço!

 “O pessimista se queixa do vento, o otimista espera que ele mude e o realista ajusta as velas.” William George Ward

 

Clique a seguir e siga-me no Instagram: