Central de Notícias

ARTIGOS

Como trabalhar e estudar para concurso público?

27/12/2017 - José Maria Rodrigues Junior

Será possível trabalhar e conseguir uma boa preparação para concurso público? Sim, como exemplo, posso citar minha própria preparação para o ISS do RJ, quando era servidor do Banco Central, com um rígido horário de 9 às 18. Para isso, no entanto, a organização e o ritmo nos estudos são fundamentais.

Antes de mais nada, é necessário ter a consciência de que a preparação para concursos públicos não acontece de um momento para o outro nem para quem só estuda, quanto mais para quem além de estudar, ainda trabalha.

Naturalmente, esse tempo de preparação é diretamente proporcional à dificuldade do concurso e inversamente proporcional ao tempo de que se dispõe para estudar – é uma relação do tipo dificuldade/tempo disponível. Tomemos como exemplo um aluno que estude cerca de 15 a 18 horas por semana. No caso de concursos da área fiscal, que contêm uma enorme quantidade de matérias, o tempo de preparação poderá alcançar dois anos ou mais. Já nos concursos da área de tribunais judiciários, por exemplo, que contêm um volume um pouco menor de matérias, com um ano e meio já seria possível construir uma boa preparação. Por outro lado, se esse mesmo aluno que estuda para fiscal possuir 36 horas semanais para o estudo, conseguirá uma preparação consistente em pouco mais de um ano. É com essa relação que temos que trabalhar para idealizarmos um bom planejamento.

Sendo assim, para a pessoa que trabalha e já se decidiu pelo estudo para concursos públicos, a organização é fundamental. Considerando que o aluno não tem abundância de tempo, deve ter racionalidade máxima no racionamento desse recurso. É preciso que o planejamento de estudos seja criado, gerenciado e, claro, rigorosamente cumprido! Não há espaço para retrabalho ou mal uso do tempo disponível. É aí que uma consultoria especializada, como a LS Concursos, faz diferença fundamental na orientação do estudo. Com um direcionamento que indica a ordem, a forma certa de estudar, os materiais mais adequados e, principalmente, contando com a experiência de quem já foi vitorioso, a pessoa que tem escassez de tempo consegue uma significativa redução no prazo para ficar bem preparada.

Obviamente, além do direcionamento organizado e eficaz do estudo é importante também o ritmo que se impõe nesta jornada. Quando se estuda com uma cadência regular, consegue-se criar uma relação de dependência com o estudo, ao passo que uma cadência irregular (quando a pessoa estuda um dia, no dia seguinte está cansada e não estuda, depois volta a estudar no terceiro dia, e fica mais dois sem estudar) fica muito difícil conseguir criar uma rotina sustentável e, por conseguinte, a tendência é que o estudo seja abandonado aos poucos.

Pausa para um choque de realidade: estudar é chato? Pode ser que sim. Para a maior parte das pessoas seria preferível estar confraternizando com a família, com os amigos, ir a um cinema, ou fazer qualquer outra coisa. No entanto, essa percepção pode ser alterada, e isso depende principalmente de uma atitude mental, antes de mais nada. Quem vai estudar e já encara essa atividade como um fardo a ser carregado para conseguir alcançar o objetivo, já sai com grande desvantagem em relação a quem estuda com mais aceitação, sabendo que cada ponto estudado é mais um passo que deu aproximando-o de sua vitória.

Para quem trabalha, uma das coisas que mais quebram o ritmo do estudo é o cansaço. A pessoa chega cansada do trabalho e quando pensa que ainda terá que enfrentar uma jornada de duas ou três horas de estudo, dá até aquela tristeza… pensa de imediato “é melhor ligar a televisão para relaxar um pouco”. E, dependendo de como esteja o ritmo, é isso mesmo que ela faz.

Então, como conseguir vencer esse cansaço? Uma sugestão pode ser mudar o horário de estudo. Porque ao invés de estudar depois do trabalho não se estuda antes?

Muitas pessoas dizem que não conseguem acordar cedo e por isso não rendem nada pela manhã. Entretanto, acredito que há um espaço para mais algumas tentativas, pois é possível pontuar algumas vantagens dessa prática.

Primeiramente o cérebro está mais descansado pela manhã e a capacidade de absorção do que se estuda normalmente é maior. A pessoa, a partir do momento que acostuma acordar cedo para estudar não estará tão cansada como à noite. Além disso, a maior das vantagens, a meu ver, é que a pessoa pode chegar exausta ao final do dia, e já terá cumprido a sua tarefa de estudos. Naturalmente, a facilidade para estudar cedo ou tarde varia de pessoa para pessoa. Caso nunca tenha experimentado estudar cedo, essa é a chance!!!

E como se acostumar a acordar cedo para estudar? A sugestão é que seja aos poucos! Por exemplo: acostume-se a acordar 15 minutos mais cedo, e faça isso durante uma semana – ainda sem estudar mesmo. Na semana seguinte, acorde meia hora mais cedo todos os dias, e estude por uns 20 minutos – continue assim por mais duas semanas. Na terceira semana comece a acordar 45 minutos mais cedo e estude por meia hora. Com o tempo e acordando 15 minutos mais cedo a cada semana, em uns 3 meses conseguirá acordar umas duas ou três horas mais cedo. Por óbvio, deve (1) habituar-se a dormir mais cedo para garantir uma noite de sono revigorante, e também (2) evitar com todas as suas forças a quebra desse hábito – caso contrário terá que começar a remar tudo novamente.

É claro, isso é apenas uma sugestão! De toda forma, vale a pena ser criativo com as alternativas que se tem para alcançar uma preparação de alto nível que garanta a tão sonhada aprovação.

Quaisquer dúvidas, críticas ou sugestões, entre em contato:
josemaria@lsconcursos.com.br

José Maria Rodrigues Junior é Fiscal de Rendas do Município do Rio de Janeiro, trabalhou também como Analista do Banco Central do Brasil. Graduado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro em Engenharia e Direito. Pós graduado em Direito Civil e Processual Civil pela UGF. MBA em direito econômico e empresarial pela FGV.

Leia também: As Chaves para a Vitória no Mundo dos Concursos.

Clique a seguir e siga-me no Instagram: