Central de Notícias

ARTIGOS

Concurso público: um projeto da família toda

21/03/2018 - Katia Gisele de Souza

Hoje a minha conversa é pessoal, quase um depoimento. Vou usar a minha história pra tentar ajudar quem mora com a sua cara metade, quem sabe tem filhos pequenos, e que decidiu que quer fazer concurso público. Mas não qualquer concurso, você quer aquele grande, difícil, mas que pode dar uma virada espetacular (e pra melhor!) na sua vida (e na da família). Quem sabe esse texto sirva também para você que não é casado nem tem filhos, mas que, desde que começou a estudar, sente a cobrança da família para estar mais presente, pra largar o computador um pouco. É, eu sei bem como é isso.

Quando parei de trabalhar e decidi focar totalmente nos meus estudos para concursos públicos, minha filha tinha 8 anos e meu filho tinha 11. Eles estudavam, tinham tarefas extracurriculares e demandavam tempo e atenção como qualquer criança.

Essa é a realidade de muitos dos meus alunos na consultoria hoje. E uma consequência comum para quem tem família e “só estuda” (detesto essa expressão, mas vamos utilizá-la para fins desse artigo) é a sobrecarga de atividades domésticas. Sim, porque, aos poucos, todo mundo vai achando normal você ficar responsável por levar as crianças pra escola e depois pro futebol, levar a avó ao médico, ficar responsável pela roupa e a louça, afinal, “ela/ele fica o dia todo em casa né, não custa nada”. Afinal de contas “você não trabalha”.

Pois é, meu amigo concurseiro. A verdade é que CUSTA SIM. E custa muito! E você trabalha sim, ou pelo menos deveria estar trabalhando duro naquela matéria que tira seu sono!

Se você se culpa por passar o dia em casa “só ” estudando, ou se a sua família te culpa por isso, e, para aliviar, você se compromete com cada vez mais coisas, tenho uma péssima notícia: vai demorar muito para você chegar na carreira dos seus sonhos. E a cada concurso que você prestar e seu nome não estiver entre os aprovados, o sentimento de culpa e fracasso só vai aumentar. É um círculo vicioso sem fim, que só te leva pra baixo!

 

E aí, a carapuça serviu? Ótimo! Agora vamos à parte em que eu posso te ajudar!

  1. Na hora em que você decide encarar esse projeto do concurso público dos sonhos, é preciso fazer uma reunião familiar. Explicar para todos o que você quer ser, o quanto vai ganhar, como isso vai impactar na vida de todos e como você vai chegar lá (resposta: estudando). A família precisa entender o projeto e, mais importante do que isso, EMBARCAR NO PROJETO JUNTO.
  1. Aceite, e faça a família entender que SERÁ UM PERÍODO DE SACRIFÍCIOS. Provavelmente as crianças não poderão ir para o futebol de tarde ou para o inglês no contra turno se isso depender da sua carona. Não, você não está prejudicando seus filhos por eles estarem longe das atividades por um ano ou dois, para que possam ter atividades ainda melhores no próximo. Você não é um péssimo pai/mãe, pelo contrário, você está planejando um futuro ainda melhor para eles.
  1. Converse com a pessoa que sustentará financeiramente a casa. Além desse ônus, ela terá também que assumir mais responsabilidades na manutenção do lar. Você não está deixando de trabalhar, você está trabalhando como CONCURSEIRO, e estar em casa é apenas um detalhe. Você pode pendurar uma roupa no varal no seu intervalo, mas não pode perder um dia inteiro na faxina toda semana. Caso não possa parar de trabalhar para estudar, daí a conversa é a de que TODO o ônus da casa vai ter que ficar para terceiros. Talvez você precise, inclusive, que alguém faça o seu café da manhã e entregue-o na sua mesa de estudos.
  1. FAÇA TODO ESSE SACRIFÍCIO VALER A PENA.  E lembre-se que, em geral, o sacrifício e esforço adicional está sendo feito por quem te apoia também.  Já vi casos de pessoas que conseguiram todo esse apoio da família e fizeram pouco caso, não estudaram com tudo o que podiam, se acomodaram e tiraram longas sonecas à tarde. NÃO SEJA ESSA PESSOA.  Não pense que usar a desculpa do estudo para não assumir as suas responsabilidades vai te levar muito longe, não.  Em breve, a quebra do “contrato” firmado com o seu parceiro vem à tona e aí você perdeu a sua chance.
  1. Encare tudo isso como um investimento. Até porque é exatamente isso que o seu período de estudos representa. Converse com a família sobre qual será o lugar ideal para todos conhecerem nas suas primeiras férias como servidor público. Explique para os seus filhos que os celulares ficarão antiquados nesse ano, mas serão muito melhores assim que você voltar a compor a renda da família. Planeje, com seu amor, aquele fim de semana romântico no hotel que vocês nunca imaginaram que seria possível pagar. Sonhe, e faça com que eles sonhem contigo.

 

Nossa, gente!!!  Só de escrever eu me emocionei lembrando dos meus 3 anos enterrada em salas de estudo, bibliotecas, isolada no escritório de casa, perdendo todos os finais de semana de praia com a família, comendo muito chocolate e bebendo café para me manter acordada.  Eu consegui, e dou muitos créditos ao apoio que eu tive da minha irmã e do meu marido.  Ela, como minha consultora, motivadora e até carrasca, se fosse necessário, e ele como meu financiador e meu protetor.

Nem sempre essas conversas são fáceis, nem sempre a família é colaborativa. Mas acima de tudo você precisa ter segurança de que é isso que você quer e é por isso que vai lutar. Empolgue a família para embarcar no seu projeto, dê o seu melhor e, daqui um tempo, aproveite o resultado.

Se precisar de alguém pra te guiar nessa caminhada, manda um e-mail: katiagisele.concursos@lsensino.com.br

ferias-familia

Na foto, estou com meu marido e filhos aproveitando minhas primeiras férias como auditora-fiscal da Receita Estadual do RS. Dá pra ver que todos sobreviveram ao meu período de estudos! 🙂

Katia Gisele de Souza

Clique a seguir e siga-me no Instagram: