Central de Notícias

ARTIGOS

DEVO LARGAR MEU EMPREGO PARA ESTUDAR?

16/06/2017 - Fabrício Massena Petruccelli

Que decisão difícil! Sentimos que podemos render muito mais se estivermos em casa, dedicados exclusivamente aos estudos. Por outro lado, vem o pensamento do “E se eu não passar…”.

Primeiramente, é importante termos a noção de que não existe um caminho único no mundo dos concursos. As estratégias mais seguras podem fracassar, assim como os caminhos mais ousados podem dar certo. O que colocarei neste artigo é uma opinião pessoal e reflete um pouco do que vi nesses anos de preparação e consultoria.

Muitos enfrentam esse dilema (inclusive eu) e, como em tudo na vida, sempre achamos que a grama do vizinho é mais verde. O candidato que trabalha fica com inveja da vida do que não trabalha e vice-versa.

Neste artigo, você verá que as coisas não são bem assim, ambos os caminhos tem pontos positivos e negativos e deve avaliá-los com tranquilidade para tomar sua decisão. Separei 7 pontos para análise:

1 – Como é o seu trabalho?

O primeiro ponto que temos que analisar é a rotina do trabalho. Caso trabalhe muitas horas por dia (mais de dez horas, por exemplo) e ainda perca tempo no deslocamento para casa, terá que batalhar bastante para conseguir manter um bom ritmo de estudo.

Além disso, o trabalho em si influencia bastante. Dependendo da função que exerce, pode ter mais ou menos cansaço físico e mental. Ambientes de muita pressão ou que exijam bastante da sua parte física podem te cansar e fazer com que não consiga render bem ao chegar em casa.

Um bom parâmetro para esse primeiro ponto é verificar quantas horas consegue estudar trabalhando. Leia os depoimentos dos aprovados do seu concurso desejado e analise quantas horas aqueles que trabalhavam estudavam por dia. Na maioria dos concursos se conseguir manter uma média de 3 a 4 horas por dia, conseguirá competir.

Lembre também que dificilmente conseguirá estudar 12 horas por dia se largar o emprego. Esse ritmo é difícil de ser mantido e pode até fazer com que o candidato tenha um estudo irregular, pois um dia consegue estudar 12 horas, mas no outro, como está cansado, só consegue 2 horas. Sem trabalhar, o normal é conseguir estudar 6 a 9 horas por dia, se estiver num ritmo muito bom.

2 – Você tem condições financeiras para se manter por um bom período sem trabalhar?

Esse é um dos principais pontos a serem analisados. Passar aperto financeiro pode acabar com a sua tranquilidade e impedir a aprovação.

Quando estiver pensando em largar o trabalho, calcule quanto tempo conseguiria viver com o montante que possui. Seja pessimista nessa análise e imagine que irá demorar mais que o normal.

Além disso, estabeleça um ponto de ressuprimento, o valor mínimo aceitável em sua reserva, para começar a procurar emprego novamente, caso não tenha passado ainda.

Se não possui uma boa reserva, vale a pena tentar conciliar, pois será melhor do que ter que conviver com esse problema financeiro durante a preparação.

3 – Você consegue manter um ritmo bom aos finais de semana?

Se você possui o final de semana mais atribulado, trabalhar e estudar se tornará difícil. O candidato que trabalha precisa tirar a diferença no final de semana, pois está mais disposto, descansado, possui mais horas de estudo. Ou seja, é o período perfeito para absorção de conteúdo, realmente avançar na matéria.

Durante a semana, o estudo é mais precário, mas isso não pode te abalar, faz parte.

4 – A sua família concorda com sua decisão? Você acredita que terá o apoio necessário para se dedicar exclusivamente aos estudos?

Não digo que o apoio familiar é fundamental, mas se houver pressão por parte de seus familiares, a caminhada será um pouco mais árdua. Portanto, converse bastante e sinta como eles reagirão caso peça demissão. Temos que lembrar que já existirá uma pressão própria, uma auto cobrança muito grande. Se tiver uma família que entende e apóia a decisão de largar o emprego, as coisas ficarão mais fáceis.

5 – Você já tentou conciliar trabalho e estudo? Ou começará a estudar após largar o trabalho?

Antes de tomar a decisão, vale tentar conciliar trabalho e estudo. Não tome a decisão sem ao menos tentar. Deve ser maduro o suficiente para analisar se realmente é necessário pedir demissão ou não está sabendo estabelecer prioridades. Existem pessoas que fazem três esportes diariamente e reclamam de falta de tempo para estudar.

Portanto, reflita e não tome a decisão sem antes tentar manter o emprego.

6 -Você se considera uma pessoa emocionalmente equilibrada?

Como citado no item 4, a pressão aumentará muito ao largar o emprego. Existirão dias em que sentirá falta de se sentir útil, ter contato com outras pessoas, sair de casa, tirar um pouco o foco dos estudos, etc. Enfim, existirão diversos fatores que podem te tirar do equilíbrio emocional. Se acha que pode conviver bem com isso, ok. No entanto, se acha que a pressão te afetará demais, vale pensar em manter o trabalho.

Além disso, outro motivo desse aumento de pressão é encarar o concurso como uma salvação e não como algo a mais. Quando tiver fazendo a prova, o ideal é que esteja leve, pensando que, mesmo preparado, não tem a obrigação de passar, pois terão outras oportunidades. Se ficar pensando que não pode deixar essa oportunidade escapar de forma alguma, a tendência é que seu desempenho diminua.

7 – Voltar a trabalhar na sua área seria fácil?

Certos empregos tem mais facilidade de recolocação no mercado e isso pode facilitar bastante a tomada de decisão. Hoje, por exemplo, um engenheiro bem empregado deve pensar duas vezes ao pedir demissão, pois a fase não está boa no Brasil e pode ser que acabe tendo dificuldade de conseguir algo legal depois, se decidir voltar a trabalhar.

Como pode perceber, existem vários fatores a serem analisados Lembre que não há cenário perfeito, todos tem contraindicações, mas deve refletir e tomar a decisão de acordo com suas características.

Qual seria o melhor dos mundos? Essa é uma opinião pessoal, mas acredito que o candidato que consegue evoluir mais é aquele que possui um emprego de 4 a 6 horas por dia e estuda quando chega em casa. A pressão diminui por estar trabalhando e tem um bom tempo para estudar. Nem sempre é fácil encontrar esse tipo de oportunidade, mas se encontrar, saiba que pode te ajudar. Um exemplo, para aqueles que são formados em Direito, é a Residência Jurídica.

Bom, espero ter ajudado! Se tiver algum assunto que gostaria de ver por aqui, pode mandar direct no meu Instagram @fabriciolsconcursos ou e-mail (fabricio@lsconcursos.com.br) que responderei com o maior prazer.

Clique a seguir e siga-me no Instagram: