Central de Notícias

ARTIGOS

ESTABILIDADE EMOCIONAL: RESPONSABILIDADE, CALMA E CONFIANÇA

09/07/2018 - Katia de Souza

Desde que decidiu estudar para concursos, quantas vezes você se perguntou se fez a escolha certa? Quantas vezes você se sentiu inseguro, angustiado? Quantas vezes você repassou na sua mente o caminho que o trouxe até aqui?

Sim, certamente ser sevidor público não era sua resposta à pergunta “O que você quer ser quando crescer?”. Mas aí você cresceu, e esta opção passou de inconcebível para muito atrativa. Estabilidade financeira e boa remuneração a um passo do seu alcance, de uma forma justa e igualitária. Mas para chegar lá você tem que atravessar esse terreno pantanoso. Eu disse justa, não fácil. Mas você consegue. É só…

Tem muita coisa neste é só. Não desistir é a primeira delas. Mas o “insistir” tem que ser eficiente, planejado e constante. Do contrário não vai ser só difícil, pode se tornar até impossível.

Eu já falei aqui sobre o estudo, a estratégia e o emocional, coisas que na minha opinião pavimentam seu caminho até a carreira dos seus sonhos. Estudo e estratégia são questões mais objetivas, onde a nossa equipe do LS está oferecendo o maior diferencial, permitindo que você mantenha a cabeça leve e o coração tranquilo para buscar sua aprovação. Mas e o emocional?

O emocional é uma batalha diária para cada candidato. Sim, uma batalha solitária, como são as mais importantes. Mas, sempre que possível, nós tentamos ajudar, com dicas, com uma conversa, ou até com um ombro pra amparar o choro. Hoje eu quero deixar aqui três dicas, muito simples, mas que podem fazer toda a diferença. Eu sei que para mim, não só no que diz respeito à minha decisão de me tornar servidora pública, mas em várias esferas da minha vida, elas têm feito o maior sentido:

1) Não se culpe, se responsabilize: esqueça a palavra culpa. Não a use, nem para você e ainda menos para outra pessoa. A culpa é uma faca que a gente atira descuidadamente, muitas vezes nas pessoas que amamos, e frequentemente para cima, atingindo sempre a nós mesmos. Quanto mais eu exercito a empatia, mais eu vejo que gerar sentimento de culpa, em mim ou nos outros, não constrói quase nada, e sempre destrói um pouco do amor e muito da autoestima. O que a gente tem não é culpa, é RESPONSABILIDADE. Eu sou responsável pelo que acontece comigo, pelos meus atos, pelas coisas que eu conquisto e aceito na minha vida. Eu sou responsável pelos meus sentimentos, e pela forma como as pessoas me inserem em suas vidas. Entenda e aceite essa responsabilidade. Assuma seus atos e suas consequências. Depois assimile o poder e a energia que esta mudança de postura vai trazer para a sua vida.

2) Mantenha a calma e a alegria: nossas emoções podem ser um carro sem freios e desgovernado. Em qualquer situação, aprenda a manter o controle. Como? Praticando. Eu já testei. Acredite, funciona. Exercite seu autocontrole e em algum momento isso se tornará natural. Para lidar com as frustações, as derrotas e pressões que todo o candidato sofre, manter a calma e o foco são fundamentais. Mas isso você já sabia, então vou acrescentar um segredo. Acrescente a este autocontrole a alegria. O bom humor. Um sorriso, mesmo quando a gente está desabando em lágrimas tem um poder surpreendente. Substitua o grito de raiva por uma gargalhada, a cara feia por um abraço. Quando falhar, tente de novo. Esvazie seu coração e sua mente das emoções negativas e você vai multiplicar o espaço para o conhecimento entrar.

3) Encontre-se e confie em sim mesmo: acolha o seu maior companheiro. Sim, estamos falando de você. Do princípio ao fim, a única pessoa que vai estar sempre ao seu lado. Você mesmo. Procure se conhecer melhor. Entender suas fraquezas, suas limitações. Descobrir seu potencial. E aceitar a si mesmo, com todo o amor que você pode sentir por alguém. Não com condescendência ou autopiedade, mas com amor e bondade. Seja você mesmo aquela voz motivadora e benevolente que todos nós precisamos. Encoraje-se, desafie-se. E cuide-se.

Quando a moral cair e o desespero e a dúvida baterem, olhe para o lado, para frente, para trás e olhe para dentro de você mesmo e veja quantos exemplos de superação das mais diversas pessoas. Não existem incapazes para CONCURSO PÚBLICO. Todos podem e todos conseguem. Acredite nisso. Confie no que eu estou dizendo.

Num próximo artigo vou explicar o “Mas você consegue…” citado acima e vou detalhar as armadilhas que armamos para nós mesmos e como superá-las.

Clique a seguir e siga-me no Instagram: