Central de Notícias

ARTIGOS

Há um padrão de horas líquidas semanais a serem estudadas para ser aprovado?

12/04/2021 - André Rêgo

Muitas pessoas acreditam que para serem aprovadas em concursos de determinada área você precisa estudar, no mínimo, “X” ou “Y” horas toda semana.

Contudo, um padrão não tem o condão de refletir uma realidade absoluta, pois há vários fatores que interferem na quantidade de horas a serem estudadas e na consequente aprovação, os quais serão listados a seguir:

  1. Estágio de conhecimento do concurseiro:

Analisando esse fator, podemos dividir os estudantes em três níveis: iniciante, intermediário e experiente. Comparando-os, é natural concluir que, estando sob as mesmas condições, a quantidade de horas que um iniciante vai estudar tende a ser menor do que a de um intermediário ou experiente. Um aluno iniciante ainda está amadurecendo o hábito de estudos para concursos e para ele ler por horas um PDF, por exemplo, pode ser muito mais difícil. Ao decorrer do tempo, o amadurecimento deste hábito vai dar mais conforto ao aluno que era iniciante e, consequentemente, poderá conseguir estudar mais sem sentir aquele peso inicial.

  1. O que se consegue fazer a cada hora estudada: 

Os concurseiros experientes tendem a aproveitar mais cada hora estudada. Além de ter passado por algumas técnicas de estudo, o seu conhecimento prévio dos assuntos permitem que, muitas vezes, eles apenas revisem ou façam questões, refinando de forma otimizada o seu conhecimento. Já os alunos iniciantes/intermediários devem ter mais paciência para assimilação dos assuntos estudados na teoria e no processo de construção de conhecimento e isso pode demandar mais horas de dedicação ao estudo.

  1. Estudo pré-edital ou pós-edital: 

O estudo do pós-edital se diferencia substancialmente do pré edital. No pré-edital, há um foco maior na construção qualitativa de conhecimento e também na identificação de pontos fracos a serem estudados. Nele, as revisões são programadas e a confecção do seu resumo pessoal ou alguma outra forma de revisão têm muita importância. O fator tempo não costuma ser o maior problema. Já o pós-edital se revela o grande desafio para muitos concurseiros. Nesse momento, você buscará que revisar tudo que já foi estudado e fazer milhares de questões da banca para chegar muito bem na prova. Devido a este grande desafio, o aluno que está no pós-edital possui a tendência estudar mais horas do que estudava antes do edital.

  1. A área do concurso escolhida: 

A área para a qual o aluno está estudando pode interferir na quantidade de horas a ser estudada. E isso se dá não só pela concorrência e o nível dela, mas, principalmente, pela quantidade de disciplinas e assuntos a serem estudados. 

  1. Qualidade dos estudos: 

Um estudo feito de forma otimizada conduz a uma maior eficiência. Ou seja, o aluno que estuda da forma certa provavelmente estará apto a brigar pela vaga num menor espaço de tempo. Com qualidade se consegue fazer mais com menos tempo.

  1. Concentração na hora de estudar: 

Se o aluno não tiver a concentração necessária para os estudos, ele precisará estudar mais tempo para realizar a mesma atividade. Isso demandará mais horas de estudos.

  1. Ansiedade:

O aluno deve fazer o máximo que pode dentro das suas possibilidades, mas não pode se cobrar tanto a ponto da ansiedade o atrapalhar no andamento das suas metas semanais. Concurso é um projeto de médio ou longo prazo e manter uma boa saúde mental é crucial para a manutenção deste projeto.

  1. Perda de tempo com planejamento e escolha de materiais: 

Muitas vezes o aluno não percebe que isso toma muito tempo. Mas se ele somasse quantas horas ele gasta com elaboração e mudanças de planejamento dos estudos e com escolhas de materiais, em um ano seriam centenas de horas gastas com isso. São essas horas que podem fazer a diferença naquelas 1 ou 2 questões que te levam pra dentro ou fora das vagas.

Portanto, diante de tantos fatores elencados, você ainda crê que há uma quantidade de horas padronizada a ser seguida? Cremos que não. O padrão a ser seguido é o seu. Tente fazer o seu máximo sempre tentando se superar, mas com qualidade e equilíbrio, com foco no objetivo maior.

Visite o perfil do professor orientador André Rêgo na nossa página do quem somos. Clique aqui.

Compartilhe: