André Lorenço da Silva Rêgo

1º Colocado Analista Judiciário - Especialidade Contabilidade - TRT SE (2017)

Iniciei os estudos para concurso público exatamente há 4 anos, em maio de 2013. Recém-formado em Contabilidade, insatisfeito com a carreira no Banco do Brasil e com um sonho de ser auditor-fiscal, inscrevi-me num curso presencial para me familiarizar com as matérias da área fiscal.

Como o meu horário para estudar era bastante limitado, durante a semana eu ia para o curso à noite e estudava, em média, 8h aos sábados e domingos para compensar a falta de estudos da semana.

No segundo semestre de 2013, comecei a perceber que estavam surgindo vários certames para o cargo de Contador. Logo, comprei materiais para área contábil, fui deixando de frequentar o curso presencial e passei a estudar em casa, o que deu muito mais efetividade aos meus estudos. No segundo semestre de 2013 e no início de 2014, consegui algumas aprovações na área de Contabilidade, dentre elas: 2º lugar no Ministério da Fazenda, 4º lugar no TRT-BA e 10º lugar no Ministério Público-BA.

Em maio de 2014, tomei posse no Ministério da Fazenda, onde estou lotado na Delegacia da Receita Federal de Feira de Santana-BA, minha cidade natal. Após 6 meses de acomodação e sem estudar nada, surgiu o edital do ISS Salvador. Estudei com afinco por 2 meses, mas, como havia muitas matérias que nunca tinha estudado e não conhecia as técnicas ensinadas pela LS, fiquei em 74º lugar. Após o resultado negativo, cometi o erro de parar de estudar novamente.

No início de 2016, voltei a estudar. Prometi a mim mesmo que não iria interromper os estudos até ser nomeado no cargo desejado. Decidi que iria estudar voltado para a área de controle externo. Assim, fui fazer o TCE-SC, mas fiquei fora do Cadastro de Reserva (CR). Um mês depois foi lançado o edital do TCE-PR. Estudei bastante, não deu pra ficar entre as 3 vagas, mas o fato de ter ficado bem colocado no CR me motivou bastante, pois senti que o estudo estava evoluindo.

Dez dias após a prova do TCE-PR, foi lançado o edital do TRT-SE. No mesmo dia, analisei o edital e vi que muito do que eu já havia estudado para os dois certames anteriores serviria de base para o cargo de Anal. Jud. Esp. Contabilidade. Esta era uma grande oportunidade de ganhar bem e morar a 3 horas da minha cidade. Então, me desafiei e apostei para mim mesmo que ficaria em 1º lugar neste concurso.

Fiz uma análise pessoal e ficou evidente que, para atingir o objetivo, era preciso algo mais, o conteúdo por si só não seria suficiente para chegar lá. Foi aí que eu decidi fazer uma entrevista na LS e tive a imensa satisfação de conhecer o meu consultor Nylfson Borges. Desde o início, ele foi muito prestativo e confiou no meu objetivo. A partir daquela conversa, ficar em 1º lugar não era só o meu objetivo, mas tornou-se o dele também.

Como não havia turmas específicas para este cargo na LS, Nylfson teve que fazer adaptações das metas de acordo com o edital, exigindo um esforço maior de toda a equipe da LS. Durante o período de preparação, sempre estávamos conversando por e-mail para ajustar detalhes e para manter a motivação em alta.

Meu pós-edital foi intenso. A cada meta batida eu sentia que estava mais próximo do meu objetivo. Era evidente para mim que a forma objetiva e eficiente de estudo proposta pela LS aumentou muito o meu nível de preparação. Cada vez mais, eu tinha vontade de fazer a prova.

Com muita alegria, há poucas semanas, abri o resultado final e vi o meu nome estampado em 1º LUGAR. Vibrei muito com o resultado. Sou muito grato à equipe LS e, principalmente, ao meu consultor Nylfson Borges.

Toda caminhada tem erros e acertos e toda essa experiência de concursos relatada neste depoimento me fazem concluir que existem dois grandes erros dos concurseiros: o primeiro é não dar continuidade aos estudos. O segundo é ainda não ser membro da LS Concursos.